Amazontime

Amazontime
O maior site de notícias de Humaita - AM
"Deixe seu comentário ao fim das matérias, se preferir poste no mural de recados na parte inferior do site. obrigado!

RONDANDO A CIDADE




DIVINO PRANTO SEM LOCAL PARA A PRÁTICA ESPORTIVA

Uma das bandeiras mais batidas em relação ao desenvolvimento da infância e juventude é a prática esportiva, mas para isso é necessário que o poder público, que no caso é a Prefeitura de Humaitá incentive os bairros para que neles o acesso as práticas esportivas possam dizer possíveis.

No Divino Pranto, um dos bairros mais antigos e tradicionais da cidade, o abandono nos locais de práticas esportivos é visível, chega a ser uma vergonha. Recebemos informações do Sr Elson Euzes A. Moraes, Presidente da Associação do Bairro sobre as condições do campo que fica ao lado da Igreja católica, além da quadra poliesportiva que está no mais completo abandono.


Elson fez questão de nos levar até o local, onde pudemos ver tudo o que há de errado. Entre as observaçõs notamos que o campo não tem a rede num dos lados e a outra é uma colcha de retalhos, os buracos são tantos que parecem grandes tocas de tatus gigantes, verdadeiras crateras lunares.

A quadra não tem  trave, não tem aste de voley, não tem refletores que funcionem, não tem mais pintura no cimentado, tem fezes, desculpe... È que ao lado da quadra passa um esgoto com  “aquilo boiando”, uma verdadeira vergonha total.

O presidente do Bairro do Divino Pranto nos disse que a Secretaria de Esportes recebeu 120 mil Reais para investir nos esportes dando para cada bairro um kit esportivo, ele quer saber o que aconteceu, pois até ontem (01), nada havia chegado por lá.

A Associação do Bairro promovia o Inter-Bairro que reunia times de toda cidade numa divertida competição, isto já faz 3 anos que não se realiza, por falta de condições. 

O que deixa o Presidente do Bairro e os moradores mais indignados é que tudo poderia ser feito com tão pouco, entretanto gente insensível, parece não perceber que o povo precisa de pouco pra ser feliz, enquanto para alguns políticos o tudo ainda é pouco.



Haroldo Ribeiro
www.amazontime.com


.




PONTE DA OLARIA... DO MESMO JEITO. QUEBRADA



A ponte ainda está lá... Noticia boa? Infelizmente não! Falamos da Ponte da Olaria, que está no mesmo lugar e do mesmo jeito, torta, sem condições de uso e ameaçada de ruir. O povo continua fazendo o mesmo, desvia pelo outro lado do bairro com saída por Santo Antônio e São Francisco, porém quem mora ao lado da ponte e precisa utilizar transporte automotor para fazer negócios ou qualquer outra atividade,  perde muito tempo para desviar.

O povo calmo e pacato da cidade de Humaitá, acostumado a não reivindicar os seus direitos vê na atitude de seus governantes um descaso total. Simplesmente o fato está lá, todos percebem e nada é feito ou mesmo prometido, pois o tempo passa só carros que não passam pela ponte que é intransitável para qualquer tipo de veículo.

Dinheiro público é jogado fora desta forma todos os dias em vários municípios brasileiros, afinal pra que fazer uma obra duradoura se podemos fazer uma que vai se quebrar exigindo outra construção, licitação, mais dinheiro, para a obra e para o bolso nervoso de muitos políticos deste imenso Brasil.
Não quero dizer com isso que ocorram desvios em Humaitá, porém exemplos temos na própria rodovia BR 230, que tem pontes feitas com madeira de segunda qualidade, com previsão de quebras e se morrerem algumas pessoas, que se danem! Esta mentalidade que trata a população como animal tem que mudar, ou então não haverão pessoas para serem governadas.

Embora o povo não goste de embates e prefira resolver tudo pelo campo da diplomacia, subserviência ou simplesmente o silêncio, verdade é que todos os dias mais e mais pessoas vão embora daqui, e algumas para nunca mais voltar. Este sangue local que muitas vezes já está preparado para assumir os destinos de várias funções na cidade, vai a Manaus ou Porto Velho, decepcionados com seus próprios irmãos que só fazem melhorar a vida de seus familiares e apadrinhados, num vai-e-vem cíclico que parece não acabar jamais.

O caso da ponte da Olaria é mais um daqueles que não podem ser explicados pela lógica e se fundamentam na falta de amor dos governantes por aqueles que os elegeram. 


Haroldo Ribeiro


MAIS MATÉRIAS



.