Amazontime

Amazontime
O maior site de notícias de Humaita - AM
"Deixe seu comentário ao fim das matérias, se preferir poste no mural de recados na parte inferior do site. obrigado!

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Deus me devolveu a vida do meu filho (final)


No Caminho para o Hospital João Paulo II, 
em Porto Velho, uma cena deprimente nos cercou, uma luta desesperada conta a morte se deu diante de nossos olhos. Ele se debatia, querendo soltar o soro e se desprender do oxigênio. Do lado de trás da ambulância que tinha a porta travada com um fio de luz, segurava a perna de meu filho para que ele não usasse energia desnecessária.

Minha mulher ia no banco da frente acompanhando o motorista do hospital de Humaitá que dirigia em altíssima velocidade querendo numa voz uníssona a vida do rapaz de apenas 20 anos de idade.

Conseguimos chegar do lado de cá do Grande Rio Madeira e a balsa já estava indo para o outro lado, ao acender das luzes da ambulância ela voltou e fez a viagem mais rápida que eu já vi, para a nossa alegria. Chegamos ao João Paulo, um hospital especializado em urgência e emergência e logo meu filho foi encaminhado para o serviço de sutura, ele se debatia muito e o clima não era bom por lá.

Perto de meia noite ele foi encaminhado para fazer uma tomografia e logo voltou com um resultado desanimador, sem sabermos eles conversavam entre si dizendo que o caso era gravíssimo e que o Lucas não teria mais que 24 horas de vida. Já era madrugada de terça-feira quando surgiu uma vaga na UTI e ele para lá foi encaminhado.

Naquele local as visitas eram restritas, só poderiam ser feitas as 16 e as 19 horas, o tempo entre uma e outra era algo que parecia romper as barreiras dos séculos. Na quarta-feira pela manhã recebi uma ligação que foi a pior experiência de minha vida. O hospital estava ligando, quando atendi o celular procurei manter distancia de minha esposa para que ela não percebesse que era da parte do hospital, mas sem sucesso. Na ligação em câmera lenta a voz feminina do outro lado me perguntava se eu era o pai do Lucas, o que afirmei positivamente. Nesse momento minha mulher perguntou se era do hospital, não tive como negar, o que se seguiu após isso foi um misto de desespero e dor, pois para ela a ligação anunciaria a morte de nosso filho.

Marta caiu no chão e começou a gritar desesperadamente pensando no pior, felizmente a voz do outro lado apena disse se tratar de documentos para preenchimentos. Confesso que não acreditei até a hora da visita, 16h00min.

A cada dia que se seguia a situação do Lucas ia melhorando, pedíamos oração para todos os conhecidos, nossos irmãos de São Paulo levantaram um clamor em favor dele. Em Humaitá o pastores Neno, Éber e Hélio entre outros que também oravam colocaram suas congregações para interceder pelo meu filho.

Um grande amigo de meu filho foi a uma vigília na Baixada Santista e lá ouviu de uma irmã que Deus estava fechado a sepultura de um rapaz por causa da oração de uma mãe aflita, sem entender nada ele foi para sua casa, quando foi ao culto em outro dia soube do caso do Lucas e aí entendeu a mensagem.

Ajudas em dinheiro foram enviadas para que pudéssemos nos manter no local. Os alunos e professores da UFAM me enviaram quase 800 reais que foram de grande valia naquele momento de angústia. O empenho de meu companheiro Neizinho no arrecadar o valor foi surpreendente. A professora Leilane recolheu em sua casa nosso cachorro Obama, cuidou tão bem dele que quase o reconheci de tanto charme. Muito obrigado.

Recebi ligações da professora Viviane, Laura, Ednaílda e também do Amarino que quase todo o dia nos deixava uma palavra de conforto. Também tivemos o apoio da professora Elis e Raquel que além de contribuírem financeiramente também nos garantiram tranqüilidade em relação aos trabalhos que estavam em andamento. Sei que todos da UFAM nos ajudaram de uma forma ou de outra.

A professora Zilmar trouxe roupas de Humaitá para Porto Velho. Tivemos ajuda também dos empresários Nestor Rocha, que foi o que mais nos ajudou individualmente, um grande amigo, também Riça Junior e Herivaneo, Valdeci da Link Net nos enviou uma grande ajuda. O irmão Diógenes da Kodak, se mostrou um grande amigo, o PM Ailton com sua esposa nos ajudaram também.

Valdir, meu irmão, que é sargento no Pará, nos enviou o primeiro valor que nos impediu de passarmos privações nos primeiros momentos da Luta. Em Porto Velho ficam os bem próximos ao Hospital, na casa de Benaia que nos foi indicada por Luiz do Hotel Shalon. Ela foi uma verdadeira anfitriã. Nos dias que ficamos ali conhecemos o seu filho sua irmã e sua secretária, as duas com o nome de Sônia, uma benção para as nossas vidas.

Todos os dias Manuela e Michele, duas colegas de Faculdade traziam comida para nosso cachorro, obrigado! Célia do Lanche dos Amigos na Praça da Saúde nos deu a primeira palavra de conforto quando nosso filho chegou ao hospital, obrigado. O Pastor Éber Santos Duarte da Assembléia de Deus também nos enviou uma oferta que utilizamos para pagarmos contas de luz, além disso colocou a Igreja em peso nos três dias de congresso para determinar a bênção sobre as nossas vidas, obrigado!

Minhas primas em Porto Velho também nos ajudaram e muito, Xengo e D’ajuda foram uma benção nesse momento de dor, não posso esquecer-me do Kiko e Nogueira, dois irmãos que a luta me deu.

Da parte da Prefeitura de Humaitá posso destacar a figura de Sarah Riça, Secretaria de Saúde, que nos ajudou em tudo e provou que está acima de questões menores, tudo o que dela solicitamos tivemos uma pronta disposição, provando que tem um coração cristão, obrigado!

Não posso esquecer-me do Irmão Luiz do Hotel Shalon que nos ajudou de todas as formas possíveis. Meu pai, minha mãe e meus irmãos: Jairo Aluízio e Gilda ficaram em Humaitá resolvendo tudo pra nós, foram mais que irmãos.

Várias outras pessoas nos ajudaram de forma anônima, porém de grande valia de qualquer forma, e aos que oraram, evangélicos e católicos, nossos irmãos em Cristo minha sincera gratidão, não posso pagar.

Dia a dia a situação de nosso filho foi melhorando e na terça-feira fizemos uma tomografia que comprovou o sumiço do coágulo. Não restou mais nada ao médico do que anunciar a alta de Lucas Ribeiro da Silva, o filho que Deus nos devolveu!


Haroldo Ribeiro


.




































Um comentário:

  1. que bom que ele jah esta bem jah ta em ksa como seria o jornalzinho sem o lucas nao teria mais graça fikei orando pra vc volta logo e continua sendo esse jovem muito abeçoado por Deus sei que Deus promessa na sua vida por isso que ele nao permitiu vc morre

    ResponderExcluir

Comente com responsabilidade