Amazontime

Amazontime
O maior site de notícias de Humaita - AM
"Deixe seu comentário ao fim das matérias, se preferir poste no mural de recados na parte inferior do site. obrigado!

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

POVOS INDÍGENAS MANDAM E DESMANDAM NA TRANSAMAZÔNICA E NO BRASIL!




Para a utopia verde, não deve haver fazendeiros nem colonos,
patrões nem empregados, proprietários nem marginalizados, ricos nem pobres; nem leis, regulamentos, repartições, taxas, impostos etc.
Operação guaricaya matupi
Após fiscalização feita pela Força de Segurança Nacional em uma área onde ocorria extração de minério (a área é rica em ouro e cassiterita) localizada entre a ditas Terras Indígenas e a área não-indígena, Funcionário da FUNAI ficou retido pelos indígenas. ESTES EXIGIRAM A SAÍDA DA FISCALIZAÇÃO NA ÁREA PARA SOLTAR O FUNCIONÁRIO DA FUNAI. E saíram!!!
O chefe de fiscalização da superintendência do Ibama e um dos coordenadores da operação no “180”, disse: NÃO SERÁ FÁCIL CONSEGUIR ACABAR COM O PRECONCEITO EM RELAÇÃO AOS INDÍGENAS, MAS ELE FRISOU, É FÁCIL A POPULACÃO CRITICAR O QUE NÃO SE CONHECE. Nossa, o cidadão sabe tudo de ambiente e índio, e nós somos leigos no assunto, SERÁ SE ELE É AMAZONENSE! CONHECE A NOSSA REALIDADE. CREIO QUE É MAIS FÁCIL FISCALIZAR DE QUE FAZER EDUCAÇÃO AMBIENTAL, uma das funções do Ibama, que não o fazem.
“Os tenharim tiveram uma estrada passando por suas terras. Se viram morrendo de gripe e outras mazelas trazidas pelos “brancos”, além dos assassinatos na época da construção da BR. Imagina UM POVO ABANDONADO PELO ESTADO BRASILEIRO. QUEM SABE, QUANDO FOREM RESPEITADOS COMO CIDADÃOS, ELES ACABEM COM O PEDÁGIO. E quem sabe, um dia o preconceito acaba, disse o chefe do IBAMA. O CIDADÃO NOS CHAMOU DE PRECONCEITUOSOS, será se somos nós? O ESTADO BRASILEIRO QUE TEM DIVIDA COM OS POVOS INDIGENAS, NÃO O POVO BRASILEIRO, E NÓS É QUE SOMOS PRECONCEITUOSOS!
Parece que essa operação para manter a ORDEM E A LEI é só para os não-índios, porque as forças federais não são autorizados a entrar nas ditas terras indígenas, os veículos sem documentação tiveram que devolver, os garimpos clandestinos e madeiras permitidos pelos índios não são ilegais, ou seja, só dos não-índios etc., aliás a operação é batizada “guaricaya” que significa O SENHOR DA MATAS, ou seja, os ...........................advinha!!!
O objetivo é fazer com que o local se desenvolva na LEGALIDADE segundo o Chefe da Operação!
MAS, DEVERIA SER PARA TODOS, OU NÃO!
A LEGALIDADE É PARA TODOS SEGUNDO A CONSTITUIÇÃO BRASILEIRA.
Índios querem oficializar pedágio na Transamazônica
A Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab) finaliza um estudo jurídico, antropológico e ambiental para apresentar ao Ministério da Justiça e ao Ministério Público Federal oficializando a cobrança do pedágio na BR-230, a Transamazônica, já realizado extra-oficialmente por indígenas da etnia tenharim há um ano e dois meses. Segundo a assessoria jurídica da organização, a justificativa principal é "a contabilidade de quase quatro décadas em que a estrada passa por área indígena tenharim e não é pago nenhum ressarcimento à etnia".
Desde outubro do ano passado, uma cancela feita de tronco de árvore foi montada na altura do quilômetro 145 da rodovia, na terra indígena Tenharim do Marmelo. A barreira é guardada dia e noite por indígenas armados de lanças e flechas. Eles cobram em dinheiro R$ 60 para caminhão, R$ 20 para caminhonete, R$ 15 para carros e R$ 10 para motos. Segundo a Polícia Rodoviária de Rondônia, que é omissa ao caso, de 60 a 100 veículos circulam diariamente pelo quilômetro 145 da BR-230.
CADÊ O DIREITO CONSTITUCIONAL DO POVO BRASILEIRO!!!
NÃO PODEMOS PAGAR UMA ILEGALIDADE QUE ACONTECEU NO PASSADO COM OUTRA ILEGALIDADE.
Indígena é presa com cocaína em Santo Antônio do Matupi
A indígena foi presa em flagrante neste sábado, pela segunda vez, por policiais da 8º Delegacia Regional de Polícia Civil (DRPC), em Santo Antônio do Matupi, comunidade pertencente ao município de Manicoré, comercializando droga vinda da Bolívia. As informações são da diretoria de comunicação da PM do Amazonas.
Junto com ela, a PM apreendeu cerca de 300 gramas de Pedra de Óxido de Cocaína e 101 pedras de embaladas para comercialização.
Parabéns a PM, a LEGISLAÇÃO BRASILEIRA É PARA TODOS! OU NÃO?
Índios invadem obras de Belo Monte e bloqueiam Transamazônica
“Diante da intransigência do governo em dialogar e da insistência em nos des-respeitar, ocupamos a partir de agora o canteiro de obras de Belo Monte e tran-camos seu acesso pela rodovia Transamazônica. Exigimos que o governo envie para cá um representante com mandado para assinar um termo de para-lisação e desistência definitiva da construção de Belo Monte”, diz a declaração dos Povos do Xingu contra Belo Monte.
Raposa Serra do Sol hoje - a fronteira do abandono.
No extremo norte do país, em uma região estratégica para a segurança nacional, o cenário é de miséria e segregação. Dois anos depois da
demarcação da reserva indígena Raposa Serra do Sol, em Roraima, a segurança na fronteira ficou comprometida e a economia do Estado enfraqueceu. A imensa faixa de terra, antes ocupada por fazendas e plantações, agora abriga poucas comunidades que sofrem com o desemprego e o descaso.
Estradas mal conservadas, que prejudicam o acesso à educação e à saúde, a reserva Raposa Serra do Sol, no norte de Roraima, não garante melhores condições de vida para os índios que vivem lá.
Com a demarcação da reserva indígena Raposa Serra do Sol, há dois anos, o arroz deixou de ser a principal fonte de renda no norte de Roraima. O esvaziamento econômico da região abriu espaço para o contrabando de gasolina - crime que cresce na fronteira do Brasil com a Venezuela.
A SEGURANÇA NACIONAL TAMBÉM FICA COMPROMETIDA POR CAUSA DA RESISTÊNCIA DOS ÍNDIOS À PRESENÇA DAS FORÇAS FEDERAIS etc etc etc etc etc etc.

REFLEXÃO!!!
Incrível notar como a boa-fé devotada ao “Bom Selvagem” e aos nossos matos tropicais serve à perpetuação de uma mentalidade colonial e escravocrata, travestida de bom-mocismo. Claro, ruralistas devem ser punidos, porque quem sai por aí matando índios deve pagar por isso; é ponto pacífico. Mas, se o chamado primeiro mundo está assistindo com tamanha atenção ao desenrolar do conflito em DESEMVOLVIMENTO DA AMAZÔNIA X POVOS INDIGENAS, deveríamos estar de olhos igualmente abertos para os reais interesses dessas ONGs criadas por estrangeiros em nome da solidariedade.
Por que será que a maior parte da mídia está mostrando o episódio como uma mera luta pelas terras, restrita a produtores rurais, madeireiros versus índios? Só mesmo sendo muito ingênuo para acreditar nessa balela, coadunada com outra grande balela, extremamente explorada pela mídia, chamada sustentabilidade, e que, na maioria dos casos, não passa de um negócio superlucrativo pintado de verde (PARA AS EMPRESAS JORNALÍSTICAS, INCLUSIVE. TODA GRANDE EMPRESA DE MÍDIA TEM UM PROJETINHO VERDE NA MANGA).
Já passou da hora de dissiparmos essa bruma romântica pseudo-antropológica em torno do índio. Essa imagem, usurpada por ONGs gringas, só arrasta nossa dependência em todos os sentidos. Francamente, esse discurso com sotaque forte e branco em nada redimiria a culpa de vossos/nossos ancestrais pela carnificina do passado. Depois de TEREM MATADO QUASE TODOS ELES,
DE TEREM PROMOVIDO ALTOS GENOCÍDIOS, GUERRAS LOCAIS E MUNDIAIS, AGORA QUEREM NOS ENSINAR RESPEITO ÀS MINORIAS.
A História e a Geografia nos apontam com extrema clareza que países europeus e sua falta de recursos naturais e de espaço podem estar muito mais interessados no potencial das já comprovadas riquezas minerais da Raposa Serra do Sol - mais abundantes do que árvores, bichos e índios do local, diga-se de passagem. Até porque, primeiromundistas sempre se colocaram no direito de se meter em questões alheias. No passado, com a intenção escancarada de explorar e enriquecer, agora a pretexto de ajuda humanitária a estes índios e pobres além-mar, que somos nós, nessa América “Latrina”, tal e qual aqueles árabes brutos e desalmados precisam da despretensiosa intercessão norte-americana, para cuidar do próprio petróleo, não é?
Mas gringos gostam também de árvore, bicho, índio, futebol, samba, caipirinha, mulata. Então, senhores, mantenhamos a diplomacia, porque eles têm direito a isso, claro. Somos fruto da heterogenia e o intercâmbio cultural, o diálogo, a liberdade de ir e vir são sempre, sempre positivos. (PENA QUE, NO MOMENTO, AINDA QUE TENHAMOS COMPROVADA RELAÇÃO INTERPESSOAL COM CIDADÃOS DE LÁ, NÃO PODEMOS QUERER ATRAVESSAR O ATLÂNTICO PARA MORAR, ESTUDAR LÁ, SEQUER PASSAR, PORQUE TODOS SOMOS MUAMBEIROS E PROSTITUTAS E PRECISAMOS SER SALVOS).
ERA ILEGÍTIMO O DIREITO DESSES RIZICULTORES PLEITEAREM TERRA PARA PLANTAR? Aliás, quem são essas pessoas? Roraimenses ou gente da aristocracia sulista desbravando novas terras? Por que famílias de não-índios que vivem no local há três gerações tiveram de ser expulsos? Por que cada índio da Raposa Serra do Sol precisa de uma área equivalente a 80 quarteirões? SERÁ QUE VAI ACONTECER TAMBÉM NA TRANSAMAZÔNICA, JÁ TEM ÍNDIO DE OLHO EM SEDE DE FAZENDA, VOU MORAR ALI!
São questões que agora a justiça brasileira julga e cujo resultado esperamos procedente, ASSIM COMO GOSTARÍAMOS DE VER ESCLARECIDO O CASO DO EMPRESÁRIO SUECO, PRESIDENTE DA ONG COOL EARTH, QUE CONSEGUIU COMPRAR – LEGALMENTE! – 169 MIL HECTARES DA FLORESTA AMAZÔNICA. Esse sujeito, que atende pelo nome de Johan Eliasch, disse numa palestra para gringos que a Amazônia poderia ser comprada pela bagatela de 50 milhões de dólares, conforme mostrado no programa Fantástico, da TV Globo, de 01/06/2008, e em outros meios. Curiosamente, este mesmo Johan Eliasch foi capa da Isto É Dinheiro, em 19/09/2006, numa matéria muitíssimo generosa à sua pessoa, com clichês do nível “A REGIÃO VEM SENDO DEVASTADA POR QUEIMADAS, PELA DERRUBADA INDISCRIMINADA DE ÁRVORES E PELA POLUIÇÃO DE
SEUS RIOS. MAS O MILIONÁRIO SUECO JOHAN ELIASCH, DE 44 ANOS, QUER MUDAR ESSA SITUAÇÃO PARA MELHOR. ELIASCH ESTÁ À FRENTE DE UMA VERDADEIRA CRUZADA PARA SALVAR A AMAZÔNIA”. SERÁ? QUEREM VENDER A AMAZONIA PARA VER!
SOMENTE 35 ONGS ESTRANGEIRAS TÊM AUTORIZAÇÃO PARA ATUAR NA AMAZÔNIA. No entanto, centenas delas (algumas fontes citam milhares) atuam ilegalmente na região, onde vivem cerca de 400 mil índios. SERÁ QUE NO NOSSO NORDESTE SECO TEM TANTA ONG PER CAPITA ASSIM? CLARO QUE NÃO. A resposta é fácil de deduzir pelos dados do Exército Brasileiro, que calculou, em 1986, mais de 15 mil toneladas de ouro puro potencialmente extraíveis da Raposa Serra do Sol, que na época valeriam 200 bilhões de dólares e equivaleriam a 32% das reservas medidas do planeta. DADOS DO INCRA PUBLICADOS PELO JORNAL FOLHA DE S. PAULO EM 07/07/2008, APONTAM QUE ESTRANGEIROS DETÊM 5,5 MILHÕES DE HECTARES EM TODO O BRASIL. ESTE TOTAL É EQUIVALENTE A 55% DA AMAZÔNIA.
O senhor Eliasch, que pede dinheiro a boas almas caridosas pela internet para salvar a Amazônia, tem cidadania britânica e também é assessor do primeiro-ministro da Inglaterra, Gordon Brown, para assuntos ambientais. POR QUE ELE NÃO ESTÁ PREOCUPADO COM OS 10,5 % DAS EMISSÕES DE POLUENTES DO REINO UNIDO? A UNIÃO EUROPÉIA É O TERCEIRO MAIOR EMISSOR DE GÁS CARBÔNICO DO MUNDO. O Brasil responde por 3% das emissões globais. OS EUA CONTRIBUEM COM CERCA DE 40%.
Portanto, esse discursinho verde-solidário NÃO TEM CREDIBILIDADE, OU COMO DIRIA A GAROTADA “NÃO COLA”.
NÃO BASTASSEM ESSES DESMANDOS, O GOVERNO FEDERAL ACABOU DE DECRETAR A CRIAÇÃO DO FUNDO AMAZÔNIA – ABERTO A ESTRANGEIROS - PARA FINANCIAR ATIVIDADES SUSTENTÁVEIS. Claro, a União, coitada, não arrecada o suficiente para bancar a demanda de nossas próprias necessidades. Somos contraditoriamente uma nação pobre, precisamos de ajuda, o que significa dizer que não podemos tomar conta do nosso próprio nariz. Trocando em miúdos, vamos continuar com o rabo preso. Porque uma contribuiçãozinha aqui e outra ali, ajuda, né, dotô? O brasileiro, simpático, hospitaleiro, metido a esperto, baba-ovo em tudo que é estrangeiro – come até batata frita entubada importada – se lambuza na generosidade imediata. (INCLUSIVE EMPRESAS JORNALÍSTICAS QUEREM TIRAR UMA CASQUINHA COM SEUS PROJETINHOS VERDES). Tal e qual os índios deslumbrados por espelhinhos trazidos pelos brancos, há mais de quinhentos anos. O resultado, só o tempo dirá.
A culpa é deles, então?... Ó Tupã, rogai por nós! A culpa é nossa, porque somos dependentes da comiseração alheia. A culpa é da nossa falta de
educação e primarismo, do nosso provincianismo deslumbrado, porque estamos fazendo jus ao adjetivo pré-concebido que define o brasileiro e sua ancestralidade indígena: indolente.
A gente tá aí, facinho, facinho. Mercado fácil. Presa fácil. Bons selvagens virando comida de velhas raposas. Enfim, passarão outros quinhentos anos e o Brasil ainda será o Éden Tropical. Apenas para alguns Eliaschs, evidentemente.
Vamos seguindo sob a tutela do bom-mocismo, dos valorosos investimentos gringos, em todos os setores, de maneira tão automática que nem percebemos mais. HÁ UM COMPLÔ PARA TOMAR A AMAZÔNIA? CLARO QUE NÃO (PRECISO ESCLARECER QUE TENHO PAVOR DE COMUNISTAS. ELES COMEM CRIANCINHA). A agressividade dos gringos tem um porquê, convenhamos, plausível. ELES JOGAM PROFISSIONALMENTE, SÃO AS LEIS DE MERCADO, ESSE É O MUNDO ADULTO, NENÉM! TEMOS DE DAR O BRAÇO A TORCER, OU OS DOIS BRAÇOS E AS DUAS PERNAS A TORCER, NÃO SEJAMOS TÃO SENTIMENTAIS E NÃO GUARDEMOS RANCORES PORQUE TEREMOS DE SENTAR NO PRÓPRIO......... ELES SABEM VER ALÉM DO HORIZONTE.
ENTÃO TÁ. DEIXA QUIETO, QUE É MAIS FÁCIL.

(Érica Rodrigues – SP, adaptação Têres Fabrício: Li o texto e fiquei fascinado pela polêmica)

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente com responsabilidade