Amazontime

Amazontime
O maior site de notícias de Humaita - AM
"Deixe seu comentário ao fim das matérias, se preferir poste no mural de recados na parte inferior do site. obrigado!

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Uma cultura escondida



         Câmeras de todo o mundo, muito dinheiro rolando,
economia aquecida, hotéis lotados, turistas por todo o lado e uma extrema movimentação em todos os sentidos, isto não é Humaitá é Parintins, por aqui a realidade é outra conforme quem entende de cultura na região.
         Há na cidade de Humaitá um imenso descontentamento em relação a sua cultura, os grupos responsáveis por shows realizados por anos a fio estão desmotivados, tudo por conta do baixo reconhecimento das administrações da cidade nos últimos anos. Os que se dedicam à cultura por amor estão querendo parar e já não se vê grupos treinando para a grande apresentação, geralmente realizadas entre julho e agosto, o motivo é comum em todas as agremiações a falta de recursos para a festa injetados onde verdadeiramente deveriam, nas agremiações.
         Um dos grupos mais populares e ao mesmo tempo mais antigos grupos da cidade é a Quadrilha Mocidade de São José, eles fazem coro no grupo grandioso dos descontentes com o atual rumo das coisas na cidade. A Mocidade junto com o Grupo de Toadas Fogo Azul tem suas agremiações legalizadas inclusive com CNPJ, contam com despesas gigantes quando se apresentam. Para se ter uma idéia do que se gasta, um vestido pode custar mais de 1000 reais somente para alugar, numa apresentação pelo menos dez vestidos novos tem que ser adquiridos todo o ano. A insatisfação generalizada vem da constatação de que um jogo de camisa completo chega a custar menos de 1000 reais para todos os jogadores e os prêmios oferecidos chegam a casa dos 15 mil reais, enquanto que os grupos competem para receber 1500 reais.
         Quem vai ao bairro de São Pedro por estes dias no mês de junho, nas dependências do Cras pode ver a Mocidade treinando, mas vai constatar que os esforços estão sendo empreendidos para uma apresentação em Manaus e não na cidade para a tristeza local.
         Estas reclamações pertinentes não são referentes somente a atual administração, em tempos passados pessoas que estavam à frente da cultura da cidade chegaram a pagar despesas que deveriam ser quitadas pela prefeitura com dinheiro do próprio bolso. A cada dia mais as músicas eletrônicas e internacionais tomam conta de reuniões em que se concentram jovens da cidade, em pouco tempo não existirá mais nada que lembre as origens do povo da terra, tudo isto por que a cultura local não tem nada de caprichoso além de não ter recurso garantido.

Haroldo Ribeiro

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente com responsabilidade