Amazontime

Amazontime
O maior site de notícias de Humaita - AM
"Deixe seu comentário ao fim das matérias, se preferir poste no mural de recados na parte inferior do site. obrigado!

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Ela marcou um encontro com a beleza e encontrou a morte


         Ela tinha apenas 48 anos de idade
e para tornar-se mais bonita acabou encontrando a morte, Maria Luiza Coelho era defensora pública em Roraima, e lá, no estado em que trabalhava agendou uma cirurgia que levantaria os seios para que tivessem uma maior sustentação e ao mesmo tempo faria uma lipoaspiração. Depois de realizados os procedimentos feitos no Hospital Unimed, na quinta eira, 05 de janeiro, a paciente recém operada queixava-se de dores e dificuldades em respirar, ao chegar a própria casa ela teve dificuldades até mesmo para caminhar e só conseguiu entrar nela com a ajuda dos amigos e parentes.
         O médico que fez o procedimento cirúrgico, Dr. Henrique Schiaveto, já tivera problemas há dois meses, quando após uma intervenção sua uma paciente foi a óbito. Dois dias após a cirurgia, Maria Luíza não obteve uma recuperação esperada e voltou a ser internada, ela teve falência múltipla de órgãos e parada cardiorrespiratória, o que a levou a falecer. Casos semelhantes a estes espalham-se pelo mundo afora, geralmente causados por imperícia médica e locais inadequados para a realização dos procedimentos cirúrgicos. Embora para muitos possa ser diferente, uma cirurgia plástica implica os mesmos cuidados que qualquer outro tipo de intervenção e exige cuidados para que seja realizada com sucesso.
         Nos últimos tempos a televisão popularizou a cirurgia plástica como forma de resolver a maioria dos problemas com o espelho, com isso, mulheres do mundo inteiro tem buscado um padrão de beleza que muitas vezes é inatingível. Nesta saga em busca do corpo perfeito algumas tem encontrado deformidades permanentes e outras a morte, como no caso da defensora.
         Um inquérito policial foi aberto para apurar as responsabilidades no fato ocorrido. O corpo da defensora foi levado ao seu estado de origem o Pará onde foi enterrado em Belém. A direção da Unimed- Roraima não quis pronunciar-se sobre o caso, só adiantou que o médico citado não faz parte de seus quadros. Schiaveto não foi encontrado para dar explicações. Mais uma vez uma mulher perde a vida buscando a beleza desejada.

imagem: agencianorteonline.com.br

.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente com responsabilidade