Amazontime

Amazontime
O maior site de notícias de Humaita - AM
"Deixe seu comentário ao fim das matérias, se preferir poste no mural de recados na parte inferior do site. obrigado!

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Nossas meninas, "mercadorias baratas?"

O Festival de Parintins exporta sensualidade para o mundo
 Nosso país exporta cultura em forma de facilidades sexuais. 


É isso o que americanos europeus e gente de todo o mundo lembra quando vê mulheres semi ou nuas de verdade nas imagens de tevê distribuídas via satélite. Esse tipo de cultura nos sobra. Em fevereiro temos o carnaval, que no Brasil inteiro tem vária faces: desfile de escola de samba, no Rio e São Paulo; Axé na Bahia; Frevo em Pernambuco e assim vai. No ano inteiro os bailes funk exportam a imagem de mulheres pervertidas que chegam nos quatro cantos do mundo.



Para não ficar pra trás o Amazonas exporta o festival de Parintins para o globo e a cada ano mais e mais pessoas veem desfrutar dos ritmos dos bois Caprichoso e Garantido. Tudo parece muito bonito e despretensioso, porém o que realmente é passado para o turista estrangeiro é que o Brasil não é um país sério, e que por aqui existe sexo fácil e meninas a disposição. Unindo-se estas constatações com a vontade de ganhar dinheiro sem escrúpulos que empresas como a Wet-A-Line Tours, americana com sede na Geórgia e a Santana Ecofish Safari de Manaus promoviam viagens de cunho sexual vendendo facilidades para a prática de sexo com meninas, a maioria de tribos indígenas trazidas de Autazes cidade que fica a mais de 100 km de Manaus.

O preço de toda esta aventura era uma bagatela para os padrões americanos US$ 4.250, tudo isto amplamente divulgado através de vídeos do You Tube. Quando foram inqueridos pela Polícia Federal os proprietários das empresas citadas negaram tudo, entretanto Richard Schair, que também está sendo investigado em seu país, negou tudo.

O sexo forçado acontece antes das meninas completarem dezoito anos, elas são forçadas a fazer o que não querem e perdem a inocência da pior forma possível. O Brasil que nós queremos não pode deixar suas meninas sendo exploradas, precisamos ter o verde da esperança também nos olhos infantis de nossas crianças, esperança de crescer podendo fazer a escolha certa, sem expor suas vidas aos novos colonizadores do mal.


Haroldo Ribeiro
http://www.amazontime.com/
imagem: brasil-turismo.com


.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente com responsabilidade